Água em Chapecó: devemos estar atentos!

Esta é uma semana especial para fazermos uma reflexão. Dia 22 de março é o Dia Mundial da Água. Para tal, é necessário analisar a importância da água para a vida no planeta. “Deixa ligada, vou usar a torneira bem rápido” ou “o chuveiro ligado uns minutinhos não vão fazer diferença, temos bastante água no mundo”, essas são respostas frequentes para justificar o desperdício de água.

O índice de perdas no município de Chapecó, varia de 40% a 43% do volume total distribuído de água tratada, de acordo com a Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan). É o “jeitinho brasileiro” que faz boa parte da população acreditar que a água nunca vai acabar. A falta de conscientização está enraizada na cultura brasileira, parece que é necessário esperar algo acontecer para que as ações de prevenção passem a ser uma prioridade.

O Planeta Terra, também é reconhecido como Planeta Água, inclusive esta definição está entre os trechos de uma música do Guilherme Arantes. Não podemos negar que temos bastante água no planeta, pois 70% da Terra é coberto por água. Porém, dos dois terços de água no mundo, somente cerca de 3% pode ser tratada para o consumo.

A Polícia Ambiental de Chapecó é quem recebe as denúncias dos produtos químicos ou lixos jogados que contaminam e prejudicam o tratamento da água. Iniciar uma cultura de conscientização é urgente. Precisamos compreender que é possível sobreviver apenas de três a cinco dias sem água. Portanto, é necessário que a população ajude a fiscalizar e cuidar dos nossos rios, isso pode garantir a água para as regiões que sofrem escassez.

Mesmo que não seja a água de todos os rios que chegam nas nossas casas, podemos sofrer problemas em relação às doenças que os lixos jogados na água podem causar. A leptospirose é um exemplo entre tantas. Em Chapecó, a Casan capta para o tratamento a água que pertence a bacia do Lajeado São José e Lajeado Rio Tigre.

Segundo o engenheiro sanitarista da Casan, Daniel Domingues Scharf, o serviço atende 192.288 pessoas e, atualmente, o município não sofre os problemas crônicos de falta de água, somente situações pontuais e eventuais devido o rompimento de redes, vazamentos ocultos e falhas mecânicas nos sistemas de bombeamento.

O nosso mandato recebe reclamações dos moradores de alguns bairros por falta de água. Devemos frisar que o acesso a água de qualidade é um direito de todos. Logo, cobramos dos órgãos competentes, por meio do requerimento, uma resposta e solução para os problemas de escassez no nosso município.

Compreendo que a falta de água é um problema público e cultural. Público porque todas as pessoas precisam ter acesso a água para ter às condições mínimas de sobrevivência e, cultural porque é necessário que a própria população cuide o meio-ambiente e ajude a fiscalizar todas as ações que possam arruinar a vida em sociedade.

Neste sentido nosso mandato está sempre atento aos problemas ambientais da nossa região e principalmente na poluição da água. Constatamos diversos casos de poluição de córregos por meio de denúncias realizadas pelos cidadãos no Gabinete Virtual.

Em todos estes casos tomamos as medidas cabíveis para buscar solucionar estes casos. Sempre que se deparar com algum caso de poluição, degradação dos nossos rios, não hesite. Denuncie! Precisamos cuidar deste bem precioso, para garantir o futuro da nosso e das próximas gerações.água é vida

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s