Pavimentação asfáltica precisa chegar aos bairros de Chapecó

A pavimentação asfáltica em Chapecó virou assunto de polêmica nos últimos anos. Especialmente após o episódio que resultou na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Asfalto, instalada na Câmara de Vereadores entre outubro de 2013 e março de 2014, da qual fui membro. Para lembrar, a origem da CPI foi a fala de um vereador da base governista, em 20 de agosto de 2013, que disse a seguinte frase: “a prefeitura deu a ordem de serviço antes das eleições, porque nós [prefeitura] tínhamos medo que não votassem em nós e que depois não fizeram o asfalto”.

O debate era referente a ordens de serviço para asfalto dadas em 2011 e que ainda não haviam sido executadas. Na CPI, foi levantado que das 193 ruas/trechos com ordens de serviço dadas em 2011 e 2012, 88 ruas/trechos iniciaram as obras em maio de 2012, no período pré-eleitoral, e que 93 ruas/trechos, em 19 bairros, ainda esperavam o asfalto prometido no processo eleitoral de 2012, em reuniões com membros do governo e candidatos a prefeito e vereador. Para mim, ficou muito óbvio a utilização da máquina pública com o único objetivo de conseguir votos.

Pois bem, importante ressaltar que após a eleição de 2012 quase não foi feito asfaltamento de novas ruas em Chapecó, ainda mais com recursos da prefeitura. Lembrando que o recapeamento de algumas importantes vias, feito no período pré-eleitoral de 2016, foi executado com recursos financiados, ou seja, mais de R$ 20 milhões a serem pagos nos próximos anos. Era importante recuperar a malha viária de ruas centrais, mas os moradores de diversos bairros de nossa cidade seguem aguardando que promessas feitas em 2011 sejam realmente cumpridas.

Para fomentar a pavimentação asfáltica em Chapecó já apresentei ao Poder Executivo a ideia da formação de um consórcio com municípios vizinhos, aliado em investimentos em nossa Usina de Asfalto. Estive na cidade de Pinhalzinho para saber mais a respeito do Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Rodoviário (Cidir), que engloba 11 cidades. Na oportunidade, colhi detalhes técnicos deste projeto e tenho certeza de que esta é uma maneira de baratear o custo de produção do asfalto e, assim, levar pavimentação asfáltica a todos os bairros de nosso município.

Recentemente, foi aprovado na Câmara um projeto de lei que autoriza os moradores de uma rua/trecho a contratar diretamente uma empresa para executar a obra. Essa é uma iniciativa que defendia desde a CPI. A lei diz que é necessária a adesão voluntária de 100% dos proprietários, após a aprovação do levantamento pela empresa e estudo, sendo que o credenciamento das empresas e aprovação dos projetos é de competência da administração municipal. Acredito que esse é um avanço, que vai desburocratizar as ações e acelerar a execução dessas obras.

É um avanço, mas ainda é insuficiente, uma vez que não haverá contrapartida do poder público, ou seja, o morador terá que arcar com todos os custos da pavimentação. Isso, obviamente, não possibilitará que muitos cidadãos executem a ação. Sendo assim, novamente levanto que a prefeitura deve tratar asfaltamento como uma das questões principais de governo, já que leva dignidade e facilita a vida de moradores residentes em locais mais afastados do centro. Nosso mandato segue comprometido e lutando por mais asfalto para todos os bairros.

Pavimentação asfáltica precisa chegar aos bairros de Chapecó

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s